A lição do rato

O ano tinha apenas começado… Era 5 de janeiro…

3 dias antes recebi uma notícia, daquelas que ficamos chateados pela forma que nos tratam e não pelo encerramento do ciclo em si.

Tudo bem, estamos em plena era tecnológica e mandar um WhatsApp com 2 linhas terminando um “relacionamento” é extremamente normal.

“Somos seres descartáveis”, disse o Fábio.

Prefiro pensar que somos seres renováveis, recicláveis e que temos a chance de nos reinventar a cada momento! Graças a Deus!

E que bom que esses “descartes” acontecem de vez em quando!

Temos a oportunidade de avaliar nossas vidas, amizades, relacionamentos e o quanto evoluímos nesse processo…

Antigamente eu era uma pessoa extremamente tóxica e reclamona… Pra tudo eu tinha um motivo para lamentar… Não conseguia ver o lado positivo das coisas… Na verdade foi uma época da minha vida que fiquei assim e, confesso, foi a pior da minha existência! 

Havia perdido o senso de humor, não achava graça em nada e ficava sempre sofrendo quando um episódio parecido com o do início do ano ocorria…
Queria desabafar com as pessoas para me sentir melhor, só que eu achava que todo mundo era meu amigo e que queria o meu bem, mas na prática não é bem assim que acontece… As pessoas não tem muito tempo (ou saco) pra ficar ouvindo ladainhas de mimimi, a grande maioria está carente de um conselho ou algo do tipo, quer uma “fórmula mágica” que resolva os próprios problemas e não encher a cabeça com paranoias dos outros… Então percebi que o problema era MEU. EU tinha que mudar… 

Quando vi que tudo estava dando errado na minha vida, decidi “virar o disco!” (novinhos não entenderão, a doida entregando a idade… Rs – “Depois o tio explica”, como diz Leandro Karnal)!

Precisava resgatar a minha essência, ter a verdadeira Gabi de volta…

Comecei a pesquisar artigos em sites e vídeos no YouTube para tentar melhorar a situação… Fiz alguns cursos relacionados à espiritualidade, energias e comecei a meditar… que transformação! Sem esquecer da corrida, que mudou a minha vida completamente!

Voltando no assunto do rato, que é o título do texto…

Vale lembrar que tenho 6 gatos em casa… Rs

Toda vez que chego em casa, meus gatos vão pra calçada e ficam esperando que eu os pegue no colo e os coloquem de volta pra dentro… Todo dia é a mesma história… Hahaha… A Clara é a que sente mais necessidade de atravessar a rua e ir até a pracinha, então eu chego, coloco a moto na garagem, abaixo o portão e vou resgatando um a um (só o Gatão que não sai)… e no dia 5 de janeiro ocorreu a mesma cena no horário de almoço… Fiz o ritual de resgatar cada gato, quando fui atravessar a rua para pegar a Clarita, vi uma coisinha se mexendo na sarjeta… Era um filhotinho recém-nascido! Um rato de esgoto! O bebezinho ainda tinha os olhinhos fechados (demora 1 semana mais ou menos pra abrir), estava meio que pedindo ajuda pra alguma coisa que ele ainda não sabia nem como era, mas era a sua única opção… Sua mãe estava morta ao seu lado com a barriguinha pra cima! Fiquei sem reação! Gravei um vídeo, mandei pro Fábio e ele respondeu: “Vixiiii!” Falei: “Bom, vou pegar a Clara na pracinha e vejo o que fazer”…

O bebezinho estava prestes a ser levado pela enxurrada se alguém da rua lavasse a casa e tinha uma goiaba parada ao seu lado… Meu! Ia dar merda aquilo ali e eu não conseguiria almoçar, posso até estar exagerando, mas não conseguiria sequer VIVER com a culpa por ter abandonado um ser tão indefeso ali!

Levei o bichinho pra dentro de casa.

Falei pra minha mãe que não sabia o que fazer, ela me olhou com uma cara de “Não acredito!” e só me disse: “Gabriela, esses bichos não servem pra nada, só pra trazer doenças!”

“Mãe, não se preocupe… Você tem uma caixinha pra eu colocar o bebê? Vamos almoçar, vai…”

Ela arrumou uma bem pequenininha, tinha até um buraquinho pra entrar o ar… Coloquei em cima da mesa e já levei fumada! Hahahahaha… Eu não vejo maldade em nada mesmo (isso significa pra vida também)…

Enquanto almoçava, questionava em voz alta: “Qual a função de um rato de esgoto na natureza? Não é possível não servir pra nada nesse mundo!”

Minha mãe já foi logo dizendo: “Você sabia que na França estão contratando gatos pra caçarem os ratos pra ver se melhora a situação por lá?”
Olha, eu ainda não fui para a França, mas acredito que cada um enxerga a vida como se sente interiormente, mas isso pode ser assunto para um próximo texto… 

“Vou levar o bicho no banheiro da Marceli e depois vejo o que faço”…

Tem um banheiro desativado em casa, então coloquei o ratinho na caixa e fechei a porta… Pronto… um cômodo só para o bichinho, longe dos gatos! Não adiantaria muita coisa eu ter salvado o ratinho de ser levado pela enxurrada se depois um dos meus bichanos comesse… Rs

Pesquisei no Google: “como cuidar de um rato recém-nascido”…


Gente, não tem segredo nenhum! Os ratos são mamíferos, é só embeber leite num pedacinho de algodão e colocar na boquinha do bichinho pra ele mamar! Eu já pingava leite na mão mesmo e ele lambia, depois limpava as patinhas se lambendo, era muito fofo e eu me senti útil podendo ajudar aquela criaturinha indefesa! 

E foi assim durante o final de semana… Postei no meu Stories do Instagram e choveu de mensagens! A grande maioria me encorajou a cuidar do ratinho, alguns ficaram perplexos e outros pediram para eu tomar cuidado com transmissão de doenças…
No domingo fui no aniversário da minha sobrinha Valentina e comentei entre os familiares que estava cuidando de um rato de esgoto recém-nascido… Imagina o que saiu de comentários naquela festa de família… Hahahaha…

Fui logo pesquisar no livro “O poder dos gatos na cura das doenças” da Cristina Cairo qual o significado de DOIS ratos terem aparecido na minha sarjeta… O livro é sobre gatos, mas tem um capítulo em que ela explica a visão xamânica dos animais e os sinais que eles vem nos dar e… sabe qual é o sinal do rato???

Pega essa: 

Cairo, Cristina. In: “O poder dos gatos na cura das doenças”, p. 323

Agora me diz… O que VOCÊ faria na minha situação?

Como  eu deixaria pra morrer um bichinho indefeso que veio me trazer um sinal???

No terceiro dia cuidando do bebê ratinho resolvi fazer um post no Instagram pra interagir com a galera e fazer um diário dos cuidados… Trocava a toalhinha da caixinha, fazia pequenos vídeos do bebê se alimentando… Ele entrava debaixo da minha camiseta pra ficar protegido, era tão… emocionante! O ratinho nunca tinha me visto ainda, mas confiava em mim! 🤗🤗🤗 

Eu estava encantada! Queria descobrir se era macho ou fêmea pra poder dar um nome ao bebê ratinho! Pelo que pesquisei era fêmea, então fiz uma enquete e a galera contribuiu, muitos sugeriam um nome feminino, me parabenizavam pela atitude! Alguns me agradeceram por fazê-los mudarem a visão que tinham de um rato de esgoto e eu estava transbordando amor, sentindo que tocava o coração das pessoas!

Chegou a noite do terceiro dia… Cuidei do meu bebezinho (precisava ver que fofura, as orelhas ainda estavam grudadas, não tinha o buraquinho do ouvido aberto ainda, mas ele sentia a vibração do som quando eu abria a porta do banheiro e depois o box… se movimentava na caixinha, balançava os bracinhos como se estivesse correspondendo e me cumprimentando pela minha chegada! Eu queria ficar o tempo todo que estava em casa com o bebezinho, mas meus gatos ficavam ressabiados e arranhando a porta do banheiro se eu demorasse muito lá dentro… Rs
Então eu dividia a atenção… Hehehe…

Como eu havia pesquisado sobre o sexo dos ratos e tinha visto que só as fêmeas tem mamas e pela posição dos órgãos genitais, deduzi que fosse fêmea, mas nessa noite percebi que o bebê estava com um “pipizinho”… Aí tirei várias fotos com o bichinho com as pernas abertas, mostrando suas partes íntimas, erguia o rabinho pra mostrar de outro ângulo (igual as fotos que eu encontrava nos artigos) e postei no Instagram dizendo que bateu a dúvida quando vi o pipi… Meu, eu tava morrendo de sono, mas não sosseguei até fazer a postagem com as fotos do ratinho com as pernas abertas…

“Descubra se o rato é macho ou fêmea” E pá! Fui dormir…

Sonhei com o bebê… Tive pesadelos durante a noite e vi o ratinho morto no “sonho”…

Acordei mais cedo pra cuidar da criança e me preparar para o trabalho…

Abri a porta, abri o box… Ele não acenou, não se mexeu… “Será que está dormindo?”

Não, minha filha… o rato morreu.

Nem soube o que pensar, eu só chorava…

Bom, não tinha mais o que fazer… Envolvi o bebê numa meia de fadinha e coloquei numa minúscula caixa de presente… Levei comigo pro trabalho… Mostrei pro Fábio… “Nossa, que dó… Tão pequenininho…” Ele ainda não tinha visto pessoalmente meu tiquinho de rato…

Cara, eu criei tanta expectativa!

Imaginava o ratinho convivendo com meus gatos (sim, é possível!) e também uma gaiola gigante com aquelas rodinhas pra ele brincar… já viajava imaginando como seria quando ele abrisse os olhinhos daí a alguns dias e visse uma carona com cabelo vermelho na sua frente, a criatividade rolava solta durante esses dias!

Mas durou tão pouco!

Nem tinha aberto o Instagram pra ver a interação da galera, só pensava numa forma de acabar com tudo aquilo naquela manhã…

“Fábio, você tira uma foto minha com o bebê?”
“Acho que não…”
“Mas o pessoal está pedindo notícias, preciso avisar!”
“Tudo bem…”

Escrevi o seguinte no Post do IG, depois dá uma conferida lá:

🐭✨🙏🏼🍃 TODOS somos luz!

Siga o seu caminho, meu bebê sem nome! ✨🐀✨

Por um ano com mais amor, convivência com as diferenças, aceitação do outro, menos julgamentos e respeito à vida! 🙌🏼✨

Com apenas quatro dias de existência você deixou um legado! Gratidão, gratidão! 🙌🏼✨💜

“Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seus semelhantes.” (Albert Schweitzer) 🍃

A galera não entendeu muito bem o que tinha acontecido, alguns acharam que eu havia devolvido o ratinho pra natureza, pois até algumas horas atrás estava a maior diversão… O Fábio que nem acompanha meu IG até entrou e comentou no post, daí eu editei com a hashtag #RIP pra não ter que ficar explicando pro pessoal, eu não tinha cabeça pra nada.

Esse dia foi foda. Foi como se tivesse perdido um ente querido… na verdade era, né… Tive um filho super sensível durante 4 dias que absorveu toda negatividade enviada pro Universo e/ou pra mim…

Mas lógico que ficaram as lições! Tudo é aprendizado nessa vida!

A primeira e mais importante:

TOME CUIDADO COM AS PESSOAS DE “LÍNGUA PRETA” que vivem reclamando da vida e falando mal das pessoas! Eu aprendi pela dor e experiência de ser uma pessoa tóxica a não julgar o outro… lógico que “estamos” humanos e temos a tendência de criticar, pois muitas vezes somos influenciados pelo nosso EGO, mas nem sempre as pessoas irão entender o que você está querendo falar… Cada um entende o que quer e da forma que foi criado a entender… Então é sempre melhor usar a Lei do Silêncio. Sempre.
Partindo da frase de Freud “Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo”, complemento dizendo que “se Pedro vem falar pra mim sobre Paulo, com certeza ele vai falar pro Paulo sobre mim”…

Mais algumas:

SEJA GENTIL.

RESPEITE AS DIFERENÇAS.

ACEITE O OUTRO COMO ELE É.

SEJA VOCÊ MESMO EM QUALQUER SITUAÇÃO.

NÃO SE EXPONHA DEMAIS NAS REDES SOCIAIS. 
Essa é bem complicada porque muitas pessoas tem parcerias e é interessante se expor e expor a marca das empresas parceiras ou de mostrar algum produto que ganhou, mas tome cuidado com seus relacionamentos! Eu sei que a vida não é 100% florida, mas procuro sempre exaltar as coisas boas e positivas, mesmo porque é essa a filosofia que sigo, mas ficar colocando todos os dias fotos com seu companheiro, mostrando os lugares que vocês visitaram juntos, etc, acaba atraindo a energia da inveja e até mostrando que sua vida não é tão perfeita assim… 🙈 

Enfim… Fiquei ruminando a história do rato desde janeiro e encaixando as peças… Não é que tudo faz sentido? 

Meu “relacionamento” rompido via WhatsApp em duas linhas me fez refletir muito também… Uma parceria de 4 anos jogada no lixo com uma justificativa qualquer, uma desculpa das mais esfarrapadas que eu recebi porque Jaú continua pequeno (em média 130 mil habitantes) e as pessoas se conhecem… O destino me mandou vários sinais e eu finalmente entendi!

Até me lembrei de uma outra lição:

NÃO SE APEGUE AO PASSADO.
Encerrou um ciclo? OK, Tranquilo… “No pasa nada”… e bola pra frente, minha fia! O mundo está cheio de novas oportunidades, possibilidades, pessoas, coisas, parcerias!
No dia seguinte já entrei em contato com outra empresa e fiz uma parceria de muito sucesso! NADA ACONTECE POR ACASO.

Abaixo, alguns comentários que me emocionaram muito no Instagram e que, ao reler, me encheram os olhos de lágrimas novamente:

“👼💔😢 e assim se foi Joana, Ratatouille, Minnie Run! Num sopro. Mas ensinou a amar mais e criticar menos… E mostrou que viver é muito mais que ser apenas expectador. Viver é se envolver, é se doar, é não ter medo, é vencer preconceitos… Vida longa a você, Gabi Luz! ❤ “(Zeti)

“O nome dele/dela poderia ser Lucky, porque esse/essa teve muita sorte de te ter pelo caminho!” (Bebeta Ferrugem)

 “Vida é Vida! Não importa cor ou forma. É uma energia só” (J.L. Martin)

“Despertou amor e cativou tanta gente através de um animalzinho que normalmente traz tantas conotações negativas.” (Roberta Rohde)

“Acho que Esperança combina 😊… esperança de mais amor nessa Terra, compaixão em todos os sentidos. Esperança de um mundo melhor, de corações melhores igual ao teu por exemplo… que olhou com compaixão a um ser indefeso… 🙏” (Tha Trindade)

Corregabs

Sobre Corregabs

35 anos, corredora amadora desde 2010, Maratonista desde 27/07/14 e amante da vida saudável! Não espere muita coisa além de: corrida, roupas e acessórios para prática de esportes, agenda de corrida, academia, motivação para corrida, alimentação saudável e corrida! :)

5 comentários sobre “A lição do rato

  1. Puxa… Chorei aqui… Que post emocionante e cheio de amor ❤️❤️❤️
    Que Deus te abençoe sempre, Gabi. Não somos perfeitos e essa é a graça da vida, sempre buscar ser melhor. Por outro lado, tem gente mais a frente que outras e eu acho que você é do primeiro grupo 😍👏
    Fique com Deus!

  2. Emocionante! O relato e, principalmente, a lição sobre ele. Para mim isso é milagre, a capacidade de curarmos nossa “cegueira” e enxergarmos o amor além das formas. E quem fez isso? Você ou o rato? Não importa, como disse, “estamos humanos”, mas somos todos um.
    Obrigada pela sua mensagem! O dia ficou mais bonito!

  3. A lição do rato…tão pequeno, tão intenso!! Do esgoto à vida…Gabs, concordo com
    tudo o que você disse e creio que nada na vida é uma simples coincidência…tudo tem o seu valor e, também, o tempo certo de acabar e de permanecer…! Um beijo, minha querida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *