Christopher Robin Chow

Chris

Chamo-me Christopher Robin Chow, tenho 25 anos, e desde pequeno AMO esportes. Meu primeiro contato com o mundo esportivo foi com a natação – desde os 3 anos até os 14 fiz aulas –, com posterior contato com o basquete, aprendido na quadra do prédio em que moro – meu pai não me deu uma bola de futebol, mas sim uma maior, laranja e mais divertida.
Meu contato com as corridas de rua começou de forma oficial em 2008, quando disputei minhas primeiras provas – Volta USP Ribeirão Preto e Nike Human Race Etapa São Paulo, ambas com percursos de 10 km. Todavia, esse contato sofreu um hiato de 5 anos devido à minha falta de motivação e disciplina para treinar. Treinava apenas 1 mês para fazer as provas, e depois abandonava os treinos porque não via motivo para treinar sem uma prova como objetivo.

Nike Human Race - 2008
Nike Human Race – 2008

Resolvi experimentar ser velocista na faculdade (100m, 200m e 400m), mas nunca me desenvolvi a ponto de ser competitivo porque eu apenas treinava como uma forma de aliviar o stress da rotina universitária. Treinava, porém minha alimentação não acompanhava a rotina de treinos e, morando sozinho, imagine o tanto de “junk food” que eu comia por ser mais cômodo né? Rsrsrs
Entre 2011 e 2013 fiquei completamente sedentário pela primeira vez em toda minha vida – entre os vários fatores que levaram a isso destaco uma rotina de horários loucos e viagens constantes devido ao trabalho – e vi meu peso subir sem parar, principalmente pela falta de sono e de alimentação balanceada. Porém, não percebia no espelho o quanto eu vinha engordando. Quando interrompi as atividades esportivas eu estava com aproximadamente 85kg, e cheguei aos 107kg em maio de 2013.

Oha o "Antes e Depois" do Chris!
Oha o “Antes e Depois” do Chris!

Foi então que duas grandes amigas resolveram que queriam emagrecer, e meu irmão e uns amigos fizeram uma proposta de quem seria o último de nós a cruzar a linha de chegada da São Silvestre. Resolvi incentivar minhas amigas em suas metas unindo-me a elas e começando a reduzir as “gordices”, além de voltar aos treinos depois de 2 anos parado.
Tenho muito orgulho de ter reduzido de 107 kg para 90kg entre maio e julho de 2013, e depois de 90kg para 75kg entre julho de 2013 e março de 2014.
O estágio inicial foi drástico e errado, pois não consultei nutricionista e simplesmente fiz uma dieta insana, mas tive sorte de não ter sofrido consequências graves e tampouco um “efeito sanfona”. Comia muito pouco (menos de 1000 calorias/dia) e praticava corrida, musculação, basquete e vôlei ao longo da semana (aproximadamente 4 horas de esportes por dia). Com o tempo, voltei a abrir minha alimentação. Atualmente, como de tudo mesmo – do “Fat” ao “Fit”, desde as “gordices” mais pesadas até saladas sem tempero rsrs – porém moderadamente. Diria que a única eliminação em meu cardápio foram os refrigerantes. Cheguei a tomar entre 2 e 3 litros por dia, mas desde o começo de 2014 cortei esse vício de minha vida em definitivo. De resto, como e bebo de tudo de forma controlada.
Se antes eu não me via gordo, passei a ter o efeito contrário: nunca me sentia magro o suficiente. Mas atualmente me sinto feliz com meu corpo: longe da perfeição, mas como o que quero, sem exageros, equilibrando algumas “jacas” com alimentação mais regrada na maioria dos dias.
Com relação à corrida de rua, retomei os treinos após o hiato de 2008 – quando comecei a tentar treinar velocidade – no último ano de graduação e não cheguei a correr provas de 5 e tampouco de 10 km. Treinava com mais disciplina e buscando sempre entender que a concentração e o foco seriam essenciais ao sucesso nas provas. Minha reestreia em corridas foi na São Silvestre, enfrentando os 15 km mais famosos e tradicionais do Brasil. Foi uma prova dura e sofri muito depois de 8km de prova, porque errei a estratégia de corrida.

Meia Maratona Internacional de SP -com a camiseta da São Silvestre 2013...
Meia Maratona Internacional de SP -com a camiseta da São Silvestre 2013…

Assim que terminei a corrida, senti-me motivado a tentar ir mais longe, e passei a treinar para estrear na Meia Maratona Internacional de SP. Feita essa prova, também fora do tempo estipulado por mim mesmo, quase desisti de correr. Tirei 10 dias OFF por completo de qualquer treino para pensar no que fazer com relação aos esportes.

Resolvi que iria tentar mais uma Meia Maratona, e a prova escolhida foi a Mizuno Half Marathon, prova na qual conheci algumas pessoas que me inspiravam demais via Instagram até então, como você, o Fábio e a Valeria, e tive o prazer de ter o Fábio como pacer durante a prova toda. Ir conversando, segurando o impulso de correr desenfreadamente e quebrar antes da metade da prova, tudo foi um aprendizado.

Antes da largada da Mizuno Half Marathon: Lira, Gabs, Valéria, Cesar e Chris
Antes da largada da Mizuno Half Marathon: Lira, Gabs, Valéria, Cesar e Chris
Com o Fábio de pacer - e a cabecinha da Gabs aparecendo atrás do Fábio! Rs
Com o Fábio de pacer – e a cabecinha da Gabs aparecendo atrás do Fábio! Rs
Mizuno Half Marathon
Mizuno Half Marathon

Fabio e Chris
Passada essa prova, passei a me sentir mais motivado a buscar desafios ainda maiores – e nisso veio a ideia de correr uma maratona. Depois de 2 meias maratonas completas oficialmente e algumas extra-oficialmente, conversei com meu treinador e começamos a aumentar o volume de treinos visando a maratona.

Desde então, venho me disciplinando a treinar conforme as orientações do professor, não me importando se estivesse chovendo ou sol. Confesso que fui bem caxias no começo, e perdi o foco por 2 semanas recentemente; porém, desde que decidi treinar para correr a maratona sinto como se tivesse começado uma vida nova: rotina, disciplina, força de vontade e, acima de tudo, desenvolvimento de força mental!
Agora estou a 13 dias da minha estreia oficial, mas já fiz uma simulação dos 42K195m bem satisfatória, o que elevou minha confiança. Vou tranquilo para a prova, e contando com o apoio e a energia super positiva de vários amigos, em especial você e o Fábio, que sempre me apoiaram MUITO desde o primeiro contato que tivemos!
Uma parte de minha história está ilustrada. Não sou um grande exemplo de atleta nem de como se deve seguir dietas, mas tive sorte e determinação, e isso é o que acredito que leva ao sucesso: persistência e força de vontade.

3 pensou em “Christopher Robin Chow

  1. Gaaabs!!!

    Nem sei como agradecer tudo o que você tem sido pra mim!!!
    Muito mais que amiga, tem sido um verdadeiro anjo!!!

    É uma honra fazer parte dessa seção do seu blog, e a admiração que tenho por ti é imensa!! Mais do que uma amiga, você é uma irmã, conselheira e confidente!!!

    você e o Fábio sim são dois exemplos em quem procuro me espelhar para incentivar pessoas a correr, assim como tenho vocês sempre me motivando e tratando com tanto carinho!

    Mas não sou exemplo não rsrs… Só se for de loucura kkkkk

    Beijos coruja amada e querida!!!

    VAI CORUJA!!!!!

    1. Chris, que linda história. Acompanho você por um tempo e Gosto muito do seu jeito! De dá força para os amigos! Você é um querido! Espero um dia lhe conhecer e agora também o seu grande amor! Felicidades, sempre! Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.