Célia Alves – #tenisesainha

Célia -<span class= #tenisesainha (Tênis e Sainha)" width="604" height="904" srcset="https://www.corregabs.com.br/wp-content/uploads/2014/10/Imagem3-684x1024.jpg 684w, https://www.corregabs.com.br/wp-content/uploads/2014/10/Imagem3-200x300.jpg 200w, https://www.corregabs.com.br/wp-content/uploads/2014/10/Imagem3.jpg 693w" sizes="(max-width: 604px) 100vw, 604px" />

Célia Alves – #tenisesainha (Tênis e Sainha)

Sabe aquela história que tem tudo pra dar errado e no fim acaba dando certo? Então, o meu relacionamento com a corrida foi mais ou menos assim…

10407714_716788925067479_5200925367996997799_n

Era uma vez… eu!

Era uma vez uma princesa #sqn chamada Célia Alves hahahaahaha. Começando de novo, só que agora sério! Aos 30 anos de idade eu era totalmente sedentária, envolvida numa rotina frenética e enlouquecida de diretora de criação em uma agência de publicidade, à noite professora de faculdade, e nas horas vagas mãe de 3 filhos, filha, irmã, namorada e amiga.

1421225_574794015933638_1039966213_o

Sempre fui magra, então nunca me preocupei em fazer nenhum exercício para manter a forma. Quando alguém tocava nesse assunto, a resposta já vinha pronta: “Não preciso e não tenho tempo pra fazer mais nada”, e ponto final.
Foi então que comecei a perceber a gravidade fazendo efeito na frente do espelho (choque!), então resolvi ir para a academia às 6h da manhã, pois era o único horário que eu tinha livre. No começo, aquilo era uma tortura… acordar às 5h30m era algo inimaginável para mim – praticamente uma Bela Adormecida cuiabana que adorava dormir tarde depois de um happy hour e uma baladinha com “azamiga”.

Mas era um mal necessário! Meu corpo começou a se adaptar ao horário, então nos dias que eu não ia para a academia arriscava fazer uma caminhada ao redor do quarteirão, mas correr nem pensar!
Eis que um dia minha cunhada Karinna, que já corria há algum tempo, me ligou fazendo uma proposta indecente: “Vamos correr a corrida da Polícia Militar? Vou fazer sua inscrição, ok?”. Nem tive tempo de negar. Na hora pensei: “ahhh, ela vai acabar esquecendo disso!” então concordei. Mas ela não esqueceu! Me ligava, chamava pra treinar, pra fazer o percurso, mas eu enrolava e acabei treinando com ela umas 3 vezes, fazendo no máximo 5 km. O domingo chegou, com 10 km pela frente, e eu quase morri! Sério… foi traumatizante! Calor básico de Cuiabrasa – 34 graus na sombra. Trajeto cheio de subidas. Meu namorado ficou na metade do percurso para me entregar isotônico e quando o vi pensei “vou ficar por aqui mesmo”, mas ele veio correndo, todo feliz e orgulhoso, me acompanhando para eu não perder o ritmo, fiquei tão envergonhada de desistir que continuei. É claro que fui uma das últimas a chegar, não me lembro ao certo, mas acho que fiz os 10 km em 1h40m, ouvia de vez em quando o carro de bombeiro que vinha atrás recolhendo os desistentes, daí apertava o passo um pouquinho e ia em frente.
Prometi que nunca mais me metia nessas “furadas”, mas na próxima corrida lá
estava eu de novo, arrastada pela “cunhadaloucadascorridas”.

885885_661873583849718_3564423972699704718_o
Assim as corridas foram ficando mais frequentes, e quando eu estava tomando gosto pela coisa, surgiu um vilão na minha vida: o joelho maldito. Ahhhhhh, toda história tem que ter uma mocinha e um bandido, sendo assim ele chegou “causando”, querendo destruir meu caso de amor com as pistas. Pausa nos treinos, fortalecimento na academia e o danado foi me deixando em paz aos poucos.

278205_493632714049769_1286430704_o

Decidi fazer a Meia do Rio em 2013, e como minha cunhada engravidou, decidi ir sozinha mesmo. Treinava sozinha, sem assessoria, seguindo planilhas de internet e de revistas especializadas, mas sem orientação profissional. Fiz longões aos fins de semana até chegar aos 20 km, e deu tudo certo! O Rio de Janeiro amanheceu lindo, com um sol de 30 graus derretendo o asfalto e secando minhas lágrimas de emoção.
Chorei várias vezes durante o percurso, me emocionei com a quantidade de pessoas na largada, vibrei com a música alta e o jogo de luzes no túnel, senti a energia da galera e agradeci a força que Deus me deu para enfrentar esse desafio sozinha. Quando avistei Cairo, meu namorido lindo, na chegada, foram só lágrimas de felicidade. Sem palavras! Concluí a prova em 2h14m.
De lá pra cá fiquei impossível kkkkk, viciei pela adrenalina e entrei para uma assessoria esportiva, a família MTFitrun, onde tenho aprendido muito com o “meu malvado favorito” prof. Valdecarlos.

Imagem4

Fomos juntos para a Volta à Ilha onde fiz 2 trechos lindíssimos na praia, e agora minha vontade é não parar nunca mais!

10469822_620832228029433_1272344159509115723_n

Estabeleci novas metas e treinos para a Meia do Rio em 2014, mas o bandido do joelho voltou a contra-atacar 2 meses antes da prova. Fiquei 40 dias sem correr, fortalecendo com bike e academia…

10255509_659286494151056_238042506608007376_n

… e consegui concluir a prova em 2h09m.

Imagem23

10533750_686025978143774_6785038146516686667_n

Hoje incluí o Pilates também no meu dia a dia e não tenho sentido mais dores no joelho (amém!). Meus próximos desafios são a Golden 4 em Brasília – onde pretendo fazer sub 2h se Deus quiser e o joelho deixar! – Ultramacho 30k em Nobres (22km de bike, 3km de duck e 5km corrida na trilha) e a São Silvestre em São Paulo.

1386001_713343642078674_6156559862252225590_n

Não tenho a pretensão nem a ousadia de ser uma atleta – até porque minha tendinite patelar não permite – corro para me divertir e ser feliz.

10247457_625843017495404_6895124344999759986_n

Correr me deu um brilho nos olhos especial, me presenteou com um corpinho de 20 com experiência de 35 kkk, e eu queria compartilhar isso com as pessoas, por isso criei em Setembro de 2013 o perfil @tenisesainha no Instagram. Era para ser um espaço meu, um desabafo, pra falar sobre o que eu gosto e incentivar meus amigos a um estilo de vida mais feliz e saudável. Mas o perfil cresceu muito mais do que eu esperava, ultrapassou as barreiras das amizades “reais” e alcançou milhares de amigos virtuais, alguns já desvirtualizados como a Gabs e os meus amados  #quenianosdoig.

DSC_4517
Alguns dos #QuenianosDoIG

10342003_685908341488871_2458891496297440526_n

Conheci pessoas maravilhosas através da corrida, que torcem por mim, entendem minhas dificuldades, acompanham meus treinos, dividem comigo suas angústias e conquistas, e o mais legal: fazem o papel de mola propulsora na minha vida, me impulsionando cada vez mais.

1469982_763559943660767_100427533_n

10153650_672992886097732_545734249_n
Adoro acordar cedo e encontrar as #divasmtfitrun lindas, coloridas e falantes, e também os #tenisecueca do grupo, enquanto eu “pego no tranco” para dar um sorriso kkkk.

10570323_719849731428065_5656258564835097954_n

10253821_893539590671994_5708775022708945853_n

10685546_815882305128796_4349166100594207635_n

Tento também incentivar meus filhos e namorido a praticarem atividades físicas, tenho que arrastá-los, confesso! Kkk mas nossos momentos de slack line e bike são deliciosos e únicos, essenciais para fortalecer ainda mais nossa família.

10487258_685267248219647_6265737593292694267_n

1098148_611482682264771_568094313_n

celia_mães5

E por falar em família, este ano ganhamos uma nova integrante que me ajudou muito enquanto estava machucada, a Kate – minha filha border collie, fiel escudeira de selfie e parceira de 4 patas que aprendeu a correr e está sempre pronta pra me acompanhar nas pequenas distâncias.

1920199_646180638794975_9024764588700001464_n

Somos cara de uma, focinho da outra!

1043928_670081529738219_8608190625206032981_n

10361523_663158617097177_2534969942393864472_n

10521386_692544747491897_7372542013444343565_n

Bem, é isso! Acho que já falei (escrevi) demais, mania de redatora publicitária!

10369012_699882330091472_6468987756540261130_o

Minha história de amor pela corrida não tem nenhum ponto alto de superação, nenhum modelo a ser seguido, nenhuma fórmula mágica. Ela é bem simples, como a de milhares de corredores amadores desconhecidos, que acordam antes do sol nascer, se orgulham de baixar 5 segundos no pace “tartaruga ninja”, trabalham durante o dia todo, dormem com dores nas articulações, juntam seu dinheirinho para viajar e participar de corridas… mas vibram como profissionais em cada chegada, guardam suas medalhas como tesouros e enchem os olhos de lágrima ao se imaginar bem velhinhos correndo e se superando, felizes para sempre.

10153790_724881867591518_3567865069645564900_n

Célia Alves

Sobre CorreGabs

E aí, tudo ótimo com você? Maravilha, né? Se você chegou até aqui é porque está buscando junto comigo dar um SALTO QUÂNTICO na Evolução Espiritual! Porque gente boa se atrai! Entendeu? Eu sou a CorreGabs, seja muito bem-vindx, ao meu blog! 40 anos, corredora amadora desde 2010, Maratonista desde 27/07/14 e amante da vida saudável! Não espere muita coisa além de: corrida, roupas e acessórios para prática de esportes, agenda de corrida, academia, motivação para corrida, alimentação saudável e corrida! 😆 Na verdade vamos falar de tudo que envolve a expansão da consciência! Porque tá tudo conectado! Sigamos no caminho da luz! Namastê!

9 pensou em “Célia Alves – #tenisesainha

  1. Que milagre!!! Uma pessoa que não começou a correr depois de engordar!
    Célia, parabéns pela determinação!!!
    Mas como pode dizer que sua história não é de superação?
    Saiu do sedentarismo, e tá aí enfrentando meias (e vai dar Sub-2h em BSB dia 09.11 SIM!!!), vai fazer esse Ultramacho que parece ser bem bruto…e vem pra São Silvestre!!! (aliás, faço questão de desvirtualizar a amizade com você…e se trouxer a Kate quero vê-la também…babo nas fotos suas com ela!!! *o*)

    Beeeijo!!!

  2. Célia!!! Como já falei adorei seu texto, sua história! Você é uma redatora show! Força guerreira! Em breve seu record por aqui! Beijos @carol_corredora

  3. Chorei…
    Tão lindo ouvir histórias como essa, de como a corrida arrebata os nossos corações!
    E não é só pq ela nos deixa com o corpo sequinho, ou pq gera uma endorfina louca nos enchendo de alegria….a corrida é mais…muito mais do que isso!
    São os amigos que ela nos traz, são milhares de histórias de superação e inspiração, é um estilo de vida feliz, que enche o coração, a cada pace baixado, cada dor superada, cada k na conta, cada local fantástico que nos leva para percorrer,cada energia que experimentamos nas corridas…
    Obrigada por compartilhar sua história!Beijos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.